quarta-feira, 7 de maio de 2008

"The Age Of The Understatement", The Last Shadow Puppets (2008)

As personalidades de Alex Turner (Arctic Monkeys) e Miles Kane (The Rascals) cruzaram-se há um par de anos quando a anterior banda deste último, os Little Flames, andavam em digressão com os Monkeys. Consta que se tornaram grandes amigos e decidiram, então, formar uma banda paralela aos seus grupos principais. No entanto, ao contrário de outros "supergrupos" (olhe-se, por exemplo, para os Raconteurs), os The Last Shadow Puppets não são apenas a soma das duas partes que o compõe. Optaram por um conceito. Influenciados pelos ares da década de 60, mais concrectamente pelas canções de Scott Walker, David Bowie e David Axelrod, os dois decidiram recriar aquelas orquestrações maiores do que a própria vida, rebuscadas e propositadamente insufladas, conferindo-lhes um toque moderno e pessoal. Para concretizar a ideia, utilizaram o talento de duas mentes brilhantes - James Ford (Simian Mobile Disco), que assina a produção, e Owen Pallett (Arcade Fire, Final Fantasy), responsável pelos arranjos instrumentais, interpretados pela London Metropolitan Orchestra. O produto final desta colaboração recebeu muito pomposamente o nome de The Age Of The Understatement.
Confesso que quando ouvi o primeiro single, precisamente a faixa-título, fiquei de pé atrás - achei que, tal como penso que acontece um pouco com os Arctic Monkeys, a forma se fosse sobrepor ao conteúdo e todo aquele epicismo se tornasse um tanto ao quanto maçador (não seria a primeira banda a afogar-se no meio de sinfonias colossais - hello Editors?). Felizmente, os meus receios não se cumpriram: os Last Shadow Puppets souberam encontrar um ponto de equilíbrio, onde a inevitável omnipresença de requintadas orquestrações nunca sofoca a música em si, antes promove um grande dinamismo e um revigorante ritmo entre todas as canções. Replecto de acção, um charme irresistível e histórias de mulheres belas e fatais, tal como um bom filme de James Bond, The Age Of The Understatement é puro entretenimento - mas apesar do estilo ser assumidamente retro, a sonoridade que trespassa é bem actual e sofisticada. Estamos, portanto, perante mais um momento de grande vitalidade da pop britânica. Sem serem tão brilhantes com, por exemplo, uns Franz Ferdinand, estes jovens não deixam saudades de uns Oasis ou uns The Verve das épocas áureas.
Destaque final ainda para a agilidade vocal de Alex Turner, que, com aquela sua dicção impecável, se revela fundamental na construção deste imaginário recheado de dramatismo, proporcionando momentos excepcionais, como "Calm Like You" ou "Black Plant". 17/20.

The Age Of The Understatement, dos Last Shadow Puppets
Edição: 28 de Abril 2008 (Domino)
Faixas: The Age Of The Understatement, Standing Next To me, Calm Like You, Separate And Ever Deadly, The Chamber, Only The Truth, My Mistakes Were Made For You, Black Plant, I Don't Like You Anymore, In My Room, The Meeting Place, Time Has Come Again
Webiste: theageoftheunderstatement.com
MySpace: myspace.com/thelastshadowpuppets
Youtube: The Age Of The Understatement, My Mistakes Were Made For You

3 comentários:

alex disse...

Muito boa análise! Acho que não tirava nem punha nada do que disseste, senti exactamente a mesma coisa. Curioso, também me fez parecer que algumas músicas encaixavam de certa maneira num filme do james Bond, principalmente a "My Mystakes were made for you".

Cumps

John The Revelator disse...

É um álbum bem empolgante, sem dúvida.

Uma minha preferida penso que é a "Black Plant":)

R. D´Elia disse...

João, tudo bem? Vamos publicar este na Paradoxo, ok? Te mando a edição po e-mail. Quantas estrelas? beijos, RENATA D´ELIA